A Copa Verde-Amarela --- Texto para o site Clube do Tarô

Com a Copa do Mundo chegando, em meio a tantas insatisfações e problemas, ainda há a curiosidade de saber se os brasileiros ganharão a Taça. A possibilidade de que isso não aconteça é forte, infelizmente.

Fui convidada pelo site Clube do Tarô a escrever sobre nossas possibilidades, seja sobre resultados, seja quanto a ocorrências paralelas. Foi minha primeira participação em previsões coletivas. Posso esclarecer que a tiragem não foi feita de forma a ver jogo a jogo, apesar de termos como fazer isso, incluindo a final. Minha forma de leitura oracular prezou a orientação, o direcionamento, de forma que o caminho possa ser mutável, de acordo com a "vontade".

Muitos pontos vistos aqui foram vistos também por demais colegas oraculistas, e a impressão geral é de que a Copa não será nada fácil para nossa Seleção. Fiz a tiragem em cima deles, o grupo: como estão, qual o melhor caminho, o que não se pode esquecer... E como eu disse no texto o caminho bem trilhado, com seriedade e dedicação é a meta. Vamos torcer para que as coisas possam melhorar com o tempo - e confesso que mais para frente pretendo fazer mais jogos para saber como vamos (rss).

* Aproveite, clique aqui e leia este e os demais textos do especial sobre a Copa! 

.
.
.

A Copa Verde-Amarela
* A Seleção Brasileira irá ganhar a Copa do Mundo de 2014 no Brasil?
 

Por Chris Wolf

O ano de 2014 trouxe à nós, brasileiros, algo que não víamos desde 1950: será realizada em “terra brasilis” a vigésima edição da Copa do Mundo FIFA, a segunda vez que este torneio é realizado em nosso país. A realidade atual da nação trouxe à tona várias insatisfações sobre o evento e pela forma como está sendo conduzido pelo nosso governo atual, com vários pontos relevantes a serem considerados. Com a proximidade do início dos jogos é claro que essas insatisfações permanecem, mas muitos já se perguntam se o Brasil conseguirá levantar a Taça em solo verde e amarelo, visto que em 1950 a festa foi dos uruguaios.

Fui convidada a tecer considerações sobre a nossa seleção e seu futuro nos gramados através de meu oráculo - algo que me deixou feliz porque juntei duas paixões: o Baralho Petit Lenormand que uso como canal oracular e o Futebol. Para quem não conhece, o Baralho Petit Lenormand é um oráculo de cartas contendo 36 lâminas. Sua estrutura, criação e história fascinam até hoje e existem inúmeras lendas e estórias a seu respeito. Vivenciando um "boom" de interesse recente, o Petit Lenormand é um oráculo rico em matéria de simbologia e orientação oracular, possuindo uma aura de encantamento incrível e uma assertividade lendária. Para informação de todos, eu o utilizo dentro do estilo europeu de interpretação. Vamos então saber mais a respeito do Brasil na Copa do Mundo de 2014? 


O jogo lenormânico 

A tiragem foi feita considerando nossa seleção como personagem principal e não como entidade federal ou país.

No momento atual surgem as cartas O Livro (26) e O Anel (25), reforçando que a experiência existente entre os jogadores e comissão técnica dará a tônica de unidade ao grupo, fato que me fez pensar que aqueles que seriam eleitos viriam a ser os jogadores frequentemente convocados.

A Seleção Brasileira, comandada por Luiz Felipe Scolari, teve seu elenco fechado no dia 08 de Maio; engraçado pensar que este jogo lenormânico foi feito no dia 04. Não ocorreram muitas surpresas nas convocações, tendo o time permanecido com a base que ganhou a Copa das Confederações deste ano. Esta competição acabou por ser uma prévia da Copa do Mundo com o Brasil sendo campeão - podemos dizer que foi uma prévia bem positiva.


Infelizmente, as insatisfações da população também estiveram presentes durante os jogos e custaram caro a imagem de nosso governo e de nosso país. As cartas, portanto, acabaram por reforçar que o fato da base da seleção ter passado junta a Copa das Confederações foi preponderante para a montagem do grupo.

A favor de nossa seleção aparecem as cartas A Casa (04) e O Trevo (02), indicando que o fato do mundial estar sendo realizado no país traz um conforto aos jogadores, não só por estarem defendendo o Brasil como também porque muitos deles atuam em clubes fora do país.

A sensação de “jogar em casa” aumenta, bastando apenas que cada um procure a aproveitar ao máximo esta energia “familiar”. Será preciso ouvir a si mesmo, sentir isso individualmente e como equipe, para que essa sensação de conforto por estar em solo pátrio alimente positivamente o orgulho de vestir a camisa verde-e-amarela.

Já no aspecto desfavorável, as cartas O Chicote (11) e O Coração (24) falam da cobrança em cima do grupo, uma cobrança que nem tem ainda razão para existir, pois a bola “ainda não rolou”. E ela será passional, incisiva, desgastante, emotiva e exagerada.

Afinal, jogar “em casa” traz suas responsabilidades extras advindas do público, dos dirigentes, dos familiares, da mídia, dos milhões de “técnicos” que surgem neste tipo de situação e mais o que nem se sabe! Nossa seleção deverá lembrar que é preciso calma e seriedade para não aumentar esta voz externa com a sua própria, cobrando mais de si mesmos. A paixão pelo manto canarinho deve existir com responsabilidade e amor sem exagero.

Coisa boa nisso é saber, hoje, que a Comissão Técnica tem como proposta atuar também no lado psicológico dos jogadores, como foi divulgado em entrevistas com o técnico Scolari.
 

Falando nele, inclusive, chegamos a casa deste jogo que fala daquilo que é o alicerce, a base da Seleção: as cartas A Estrela (16) e O Homem (28). Elas mostram que existe uma grande inspiração, uma grande força a envolver o nosso time canarinho. Time esse, feito de estrelas. Muitas delas serão badaladas e terão destaque; serão enaltecidos em um jogo para no jogo seguinte serem rechaçados!

A carta 28 então traz a figura do técnico Luiz Felipe Scolari como aquele que pode manter o time unido, o “professor” como são chamados muitos técnicos de futebol. Esta carta mostra que ele provavelmente será chamado a atuar como um “pai”, um “padrinho”; ele será tanto o “defensor” como o “algoz”. Será ao mesmo tempo, o "chefe mala" e o "incentivador".

Ele será o responsável e/ou será responsabilizado por todos, mas deverá manter sempre manter a fé, pois ele não se encontra sozinho ou desamparado nessa jornada.

E o mundo? Como receberá a “Família Scolari”? O que a vida trará ao caminho da seleção brasileira? As cartas A Lua (32) e O Sol (31) aparecem na casa que fala de carma, de destino, de coisas que existem e com as quais nossa seleção e equipe técnica terão de lidar. Fala de ciclos que são necessários, fala sobre cada coisa ter o seu tempo.

Temos os astros irmãos, complementares, cada um com sua luz e seu ciclo. Em alguns momentos a seleção estará sob os holofotes por conta de tudo aquilo que conquistará dando o "sangue" em campo. Em outras ocasiões, dependendo do resultado, ela será lembrada pelo “salto alto ao invés das chuteiras”, pelo ego inflamado, pela altivez ou arrogância – mesmo que os jogadores ou o técnico não o sejam. Típico para uma seleção que é e sempre será o centro das atenções de todos.


O melhor caminho rumo ao título se revela através das cartas Os Lírios (30) e O Cão (18). O companheirismo, o apoio entre atletas e comissão técnica deverá prevalecer.

O time precisa fiel à tradição da camisa verde-e-amarela e fiel ao trabalho em grupo e do que podem realizar juntos, como unidade. Dentro de campo, a seleção deverá se comunicar constantemente, se ajudar, se proteger e se apoiar, levando o Brasil no peito com tudo o que o escudo/heráldica representa. 

Apesar de todo peso que essa tradição representa, o Brasil tem condições de mais uma vez mostrar por que é o país do futebol e por que exporta tantos craques para o mundo. É preciso juntar a técnica com a garra, a instrução com a força, a determinação com a alegria.

Na conclusão, as cartas A Montanha (21) e As Nuvens (06) nos falam das dificuldades pelas quais nossa seleção passará. Não será um mundial fácil! Temos seleções fortíssimas todas determinadas a afastar o Brasil do tão sonhado hexa.

Já foi dito por mais de um cronista esportivo que os times “crescem” quando jogam contra a seleção canarinho, ainda mais em nossa casa! No entanto, o momento é focar no caminho árduo que se mostra a frente da nossa Seleção e lembrar que é possível chegarmos lá. Os obstáculos podem ser grandes, mas isso não pode nos desanimar. O caminho bem trilhado, com seriedade e dedicação é a meta.

Uma boa sorte a todos, e que mais uma estrela
venha brilhar em nosso peito e coração!



Clube do Tarô | Texto publicado em 17/05/2014, clique aqui
© Todos os direitos reservados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço por sua participação!